Inteligência emocional no trabalho: saiba como ter 

9 minutos para ler

Nem sempre apenas conhecimentos técnicos e acadêmicos são o diferencial para os profissionais. Atualmente, diante de um mercado de trabalho altamente competitivo, é necessário ter foco, saber ouvir e conseguir assimilar com facilidade o que superiores solicitam.

Ou seja, é fundamental desenvolver a inteligência emocional no trabalho. Isso porque essa é uma competência que ajuda a manter o foco, aumenta produtividade, evita que o estresse prejudique a saúde e melhora o relacionamento entre você e a equipe.

Tal conceito é mais simples do que parece, pois está relacionado com a capacidade que temos de compreender e de lidar com as emoções e os sentimentos, sejam nossos ou de outras pessoas. O que inclui os colegas e os superiores do ambiente corporativo.

Neste artigo, explicaremos o conceito de inteligência emocional, destacando como essa habilidade influencia sua carreira e como desenvolvê-la no trabalho. Acompanhe e saiba mais sobre o assunto!

O que é inteligência emocional?

Muitos profissionais escutam falar sobre o conceito, mas não entendem o significado por completo. Trata-se da capacidade de gerenciar as emoções, no sentido de alcançar os objetivos planejados. Em outras palavras, é saber lidar com a própria emoção e a das pessoas com quem você convive, nesse caso, os colegas de trabalho.

Como exemplo, podemos pensar nas situações corporativas em que não agimos por impulso, ou seja, que conseguimos respirar fundo antes de dar uma resposta mais atravessada ou de tomar uma decisão.

A pessoa que usa a inteligência emocional na rotina de trabalho é aquela que separa os assuntos pessoais dos profissionais, aceita os feedbacks negativos e identifica situações em que ela precisa se afastar. Isso ocorre pois ela entende que há chances de se descontrolar e, assim, prejudicar o relacionamento com a equipe e também a carreira.

Assim, saber gerenciar as emoções traz ganhos ainda para sua saúde física e mental, evitando momentos de estresse.

Qual a importância dessa competência para a carreira?

Muitas pessoas, quando pensam no que é preciso para se destacar na vida profissional, logo se lembram das hard skills — que são aquelas habilidades ligadas ao conhecimento técnico e científico. O ambiente corporativo é, muitas vezes, associado à racionalidade.

Contudo, é necessário desenvolver também as soft skills, habilidades relacionadas ao nosso comportamento e relacionamento interpessoal. É aí que entra a inteligência emocional no trabalho.

Quem desenvolve essa competência gerencia os prazos e as pressões no dia a dia profissional, consegue trabalhar bem em grupo, liderar, negociar, aprimorar pontos positivos e até se sair bem frente a alguma mudança.

Além disso, os profissionais apresentam mais facilidade na aprendizagem de novas tarefas. Tudo isso aumenta a produtividade e a motivação, impactando positivamente a harmonia do clima organizacional e os resultados da empresa.

Em suma, a inteligência emocional permite diferenciar os profissionais nas empresas, uma vez que garante um melhor rendimento. Assim como possibilita a formação de equipes de alta performance e de ambientes harmoniosos e produtivos.

Como ter inteligência emocional no trabalho?

A definição da inteligência emocional pode até ser simples de compreender, mas colocá-la em prática, sobretudo no ambiente corporativo, pode ser um grande desafio para muitos líderes. A seguir, mostraremos de que forma é possível desenvolver essa competência no trabalho. Acompanhe!

Conheça suas próprias emoções

O primeiro passo para caminhar em direção à inteligência emocional é o autoconhecimento. Você precisa se conhecer, entender suas emoções e saber qual é o impacto que elas têm na rotina e no trabalho que é feito.

Então, comece a se estudar. Quando ficar com raiva, por exemplo, entenda o que causou isso. Mas não avalie apenas o acontecimento que precedeu essa emoção, veja quais foram os pensamentos que teve até chegar nesse estado.

Faça isso com todos os seus sentimentos. Depois de adquirir alguma prática, você provavelmente será capaz de identificar estados emocionais com mais facilidade, às vezes até mesmo antes que eles apareçam. Em outras palavras: você consegue antecipar reações, evitando que isso traga algum prejuízo na carreira.

Desenvolva a empatia

Quando falamos de inteligência emocional, estamos falando também da capacidade de lidar com as emoções dos companheiros de equipe. Para conseguir fazer isso, você precisa desenvolver a empatia.

Essa palavra bonita e muito usada no meio organizacional, nem sempre é entendida da forma correta. Empatia significa ter a capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa, sentir o que ela está sentindo e compreender os acontecimentos pelo ponto de vista dela.

Ao trabalhar essa habilidade no ambiente corporativo, você conseguirá lidar com conflitos com mais precisão e aprenderá a ouvir os outros. Isso melhora o processo de gestão de pessoas e reduz as insatisfações dos colaboradores.

Lide com a pressão do dia a dia

Não importa o quão bom você seja no seu trabalho, a pressão pode (e vai) estar presente no cotidiano profissional. Ela faz parte da rotina organizacional, principalmente em períodos importantes de grande produção, de crise ou de mudanças nos processos internos.

Só que a pressão não precisa ser algo ruim. Tudo depende do ponto de vista. Enquanto alguns reclamam do excesso de cobrança, da falta de tempo ou da própria incapacidade de fazer as coisas, outras ficam felizes com desafios, oportunidades de aprendizado e a possibilidade de se destacarem.

Nesse sentido, busque pelas coisas que dão gosto ao trabalho. Encontre os pontos positivos das experiências, baseie-se neles e enfrente toda a tensão diária com um sorriso no rosto e animação, mesmo que seja difícil.

Desenvolva a autoconfiança

Outra forma de ter inteligência emocional no trabalho é adotando uma postura autoconfiante. Como fazer isso? Pense em sua trajetória profissional e em todas as conquistas que teve. Enumere os aspectos que os colegas admiram em você.

Com essa reflexão, o profissional destaca potencialidades e começa a enxergar com outros olhos as críticas ou até mesmo os erros que pode cometer no dia a dia. Ele não deixa que tais questões abalem a carreira, por outro lado: leva os feedbacks negativos como um aprendizado para se aprimorar e aceitar novos desafios.

Tenha uma visão otimista

Por último, quem tem essa competência socioemocional no ambiente de trabalho consegue ter uma visão mais otimista dos cenários. Sabe que as crises vão passar e que é possível se empenhar e até inovar, mesmo nas situações mais desfavoráveis. Com isso, o profissional assume uma postura de líder, visto que consegue inspirar e motivar a equipe.

Quais são os benefícios de ter inteligência emocional no trabalho?

Agora que você já sabe a importância da inteligência emocional para a carreira e como desenvolvê-la, é hora de conhecer os principais benefícios dessa habilidade no trabalho.

Como dito, a inteligência emocional tem a capacidade de fornecer diversas vantagens aos profissionais que buscam evoluir verdadeiramente essa competência. Confira os aprendizados mais relevantes!

Gerenciamento de conflitos

Em situações de conflito, é nítida a importância de se ter a inteligência emocional no trabalho bem-desenvolvida. Quando alguém não sabe exatamente o que sente, não é empático e não equilibra as reações, o problema é inflamado e dificilmente solucionado. Ocorrem ofensas, mágoas e prejuízos para o clima organizacional.

Já uma pessoa emocionalmente inteligente tende a lidar melhor com esses conflitos, ajudando a desenvolver um ambiente de trabalho saudável e agradável, que influencia positivamente todos ao seu redor.

Melhora da qualidade de vida

Ao desenvolver essa habilidade e trabalhar de forma consciente a inteligência emocional, é possível reduzir o estresse do dia a dia e manter o controle sobre emoções e sentimentos. Essa é uma das melhores maneiras de garantir uma boa saúde mental e, consequentemente, uma vida mais saudável. Tudo isso é importante para o negócio, pois é necessário lidar diariamente com pressão, conflitos e crenças limitantes.

Consciência emocional

Ter consciência emocional garante mais facilidade em compreender emoções e como elas podem interferir na tomada de decisão e nas pessoas ao redor. Assim, você evita que sejam feitas escolhas precipitadas e por impulso, dando espaço para determinações mais racionais e assertivas.

Melhora na comunicação

Quando se tem inteligência emocional desenvolvida, é mais fácil se comunicar de forma clara e objetiva. Além de avaliar as respostas dos outros membros da equipe, indicando o que precisa ser melhorado para atingir o objetivo proposto pela empresa. Isso também facilita a compreensão dos pensamentos dos colaboradores.

Tomada de boas decisões

Como os colegas com essa habilidade são mais cautelosos, equilibrados e intuitivos, isso facilita a tomada de decisões nas tarefas de maneira mais clara, com mais possibilidades de acerto. Dessa forma, a inteligência emocional ajuda as empresas a alcançarem objetivos com mais facilidade e eficácia.

Desenvolver a inteligência emocional no trabalho não é uma tarefa muito simples. É preciso se policiar e buscar o aprimoramento constante. Ao conquistá-la, sua vida profissional só tende a melhorar, permitindo que você se posicione como uma referência de liderança, um aspecto essencial para a ascensão profissional.

Esperamos que, com este artigo, você saiba desenvolver essa competência e tenha impactos positivos em sua carreira, proporcionando um ambiente de trabalho agradável para todos e garantindo um maior engajamento das equipes.

Se você gostou do post e deseja ficar por dentro de mais conteúdos como este, não deixe de seguir nossas páginas nas redes sociais. Estamos no LinkedIn, no Facebook, no Instagram, no YouTube e no Twitter!

Posts relacionados